Como fazer gestão financeira para pequenas empresas?

11 de março de 2019

Se você é dono de uma pequena empresa, então saiba que um dos pilares que mantem uma empresa saudável é uma eficaz gestão financeira para pequenas empresas.

Afinal, sem recursos no caixa, a empresa fica enrijecida, e até impossibilitada de continuar suas atividades e, principalmente, inovar.

Em um mundo cada vez mais competitivo, quem peca nesse quesito, perde o jogo. De fato, as empresas, hoje em dia, contam com uma facilidade que pode ajudar muito na gestão financeira para pequenas empresas.

Sim, a tecnologia veio, também, para aumentar a produtividade dos empreendedores, quando utilizada de maneira racional. Por isso, explicaremos tudo sobre ter a sua empresa na palma da mão, através de seu celular.

Portanto, continue lendo este artigo e descubra como a gestão financeira para pequenas empresas pode ajudar você a gerir melhor seu negócio.

Análise completa e competente

 

Foi-se o tempo em que gestão financeira para pequenas empresas era apenas pagar as contas, descontando do faturamento e obtendo o lucro da empresa.

Hoje, além de cumprir as obrigações contratuais e de compra, o departamento financeiro deve estar equiparado ao setor estratégico da empresa.

Por isso, utilizar ferramentas específicas para gestão, é de suma importância. Independente de quem for fazer, seja você ou um terceirizado, é indispensável esse conhecimento.

Reduzir custos, otimizar resultados, observar oportunidades, podem fazer uma grande diferença, tanto para a empresa, quanto para o profissional que se diferenciar.

 

7 Passos para fazer gestão financeira para pequenas empresas

gestão financeira para pequenas empresas

Separamos alguns dos passos mais importantes para empreendedores que querem fazer gestão financeira para pequenas empresas, confira:

1.    Tenha um planejamento estratégico

Não se trata apenas de ter em mente o negócio que deseja. É preciso definir metas, dentro de um plano de negócios. Nossa dica é utilizar o sistema SMART para traçar as metas: elas devem ser específicas, mensuráveis, atingíveis, importantes e com prazo determinado para cumpri-las.

 

2.    Quantifique seu plano

Após criar suas metas e objetivos, bem estruturados no seu plano, é preciso mensurar o orçamento necessários para que se atinja tudo. Esse orçamento leva em conta a previsão de despesas e receitas, e poderá ser reajustado conforme o tempo passe.

 

3.    Capital de giro

Não é à toa, que 80% das empresas que abrem, quebram prematuramente. É necessário, além do investimento inicial, ter um fluxo de caixa, e é nesse ponto que a maior parte das empresas peca. Avalie a viabilidade de fazer empréstimos para fomentar o capital de giro, de forma que não impacte tanto a empresa.

 

4.    Mensure

Avalie se os seus objetivos estão sendo cumpridos. Se ainda é viável o plano inicial. Se houver alguma mudança necessária, deve ser feita, a fim de manter a empresa saudável.

 

5.    Projeções

Faça uso de projeções financeiras para avaliar o benefício de recorrer a empréstimos e financiamentos que custeiem o empreendimento. Resultado é a certeza de conseguir taxas de juros mais baixos e com maior facilidade.

 

6.    Melhoramento constante

Para ter sua empresa na palma da mão, é indispensável o melhoramento constante. Esteja sempre focando em melhorar a qualidade e reduzir custos.

 

7.    Precifique

Defina qual preço cobrar pelo valor que você está entregando. Também fique atento para os processos que podem geram redução de custos de produção. Tudo isso, para ter sua empresa na palma da mão.